Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Uma herança com 600 anos de história

por Agricultando, em 28.01.18

Este texto foi publicado no dia 28 de Janeiro de 2018, no Diário de Notícias.

A Comissão Europeia escolheu 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural (AEPC) a fim de promover a diversidade e o diálogo interculturais e da coesão social, bem como despertar o interesse para a importância do património no desenvolvimento social e económico e nas relações externas da União Europeia, motivando os cidadãos para os valores comuns europeus. Ao longo do ano terão lugar diversas iniciativas de índole europeia, nacional, regional e local, no sentido de envolver as populações, as organizações, as entidades públicas e privadas, para uma maior visibilidade da cultura e do património, a sua importância e o seu carácter transversal em todos sectores da sociedade. Até porque o património cultural está nas cidades, nas vilas, nas freguesias, nos sítios, nas paisagens, mas também na literatura, nas artes, nos objectos, nas profissões tradicionais, na gastronomia, entre outros. Dos vários objectivos específicos do AEPC disponíveis na página de internet institucional elaborada pela Direcção Geral do Património Cultural, destaco os seguintes: realçar o contributo positivo do património cultural para a sociedade e para economia, promover estratégias de desenvolvimento local na perspectiva da exploração do potencial do património cultural através da promoção do turismo cultural sustentável e sensibilizar para a importância do património cultural europeu através da educação, visando em especial os jovens e as comunidades locais.

No que respeita ao património cultural regional associado à agricultura e ao meio rural, nunca é demais recordar os poios [regionalismo para socalcos agrícolas], verdadeira obra de "engenho e arte" criada pelos nossos antepassados com o propósito maior de ter terra para dali tirar o seu sustento. As culturas agrícolas de clima tropical, subtropical e temperado que foram introduzidas no decorrer dos tempos e que se distinguem por serem consideradas variedades regionais ou tidas como tais, os usos e costumes, os certames de promoção dos produtos agrícolas regionais são do mesmo modo parte desse todo que se designa de património cultural. Em tudo isto assenta muito do nosso passado, do nosso conhecimento oral e escrito, do saber de experiência feito, em suma, da nossa identidade como madeirenses. Num tempo em que se começa a celebrar os seis séculos da descoberta das Ilhas do Porto Santo e da Madeira, o AEPC surge no momento certo, pois parece-me que este riquíssimo património agrícola e rural, embora omnipresente, acaba por ser ignorado algumas vezes na promoção da Madeira como região turística. Costumo dizer que a Região não tem só a Laurissilva e o mar, pois entre um e outro, há poios com gente dentro, uma herança com 600 anos de história, que merece ser melhor (re)conhecida por nós, que aqui vivemos e por quem nos visita. É igualmente indispensável insistir na ideia que as levadas tão bem divulgadas por esse mundo fora, surgiram, não com o mero intuito de o homem percorrê-las e admirar as paisagens, mas para que a água abundante na costa norte da Madeira chegasse aos poios da costa sul, onde aquele precioso líquido escasseava, tornando-os assim produtivos e com um verde agrícola tão apreciado. É por estas razões que as levadas e os poios são e serão sempre indissociáveis.

Além disso, os principais produtos espicaçam a curiosidade dos forasteiros, pois a maioria praticamente só conhece-os das prateleiras dos supermercados. A banana, a cana-de-açúcar, a anona, o maracujá, o abacate, a batata-doce, o inhame, e os amanhos culturais inerentes são alguns exemplos elucidativos do nosso património cultural agrícola. Saibamos preservá-lo para os vindouros e mostrá-lo aos visitantes, o quanto é valioso, diverso e singular.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:37



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Janeiro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!