Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A tangerina

por Agricultando, em 21.12.08

Este texto foi publicado no dia 21 de Dezembro de 2008, na revista "Mais" do Diário de Notícias. Neste mundo globalizado, onde estamos inseridos, é cada vez mais importante sublinhar que, devemos consumir os nossos frutos de determinada época do ano ou estação, pois estes apresentam uma frescura, um sabor e uma qualidade insuperáveis que devem ser desfrutados para benefício da nossa saúde. Aqueles frutos importados que foram apanhados muito cedo, por virem de países distantes não têm a mesma frescura, sabor e qualidade, ficando muitas vezes só pelo bom aspecto visual, o que sabe sempre a pouco. Um dos frutos desta época natalícia é a tangerina. O seu aroma inconfundível e o seu sabor muito agradável fazem parte da Festa. Além disso, é habitual colocar-se tangerinas na lapinha, juntamente com outros frutos da estação como castanhas, nozes, maçãs, entre outros. Outra forma de apreciar a tangerina é através do seu licor, que é muito usado no Natal madeirense, como já foi mencionado no “agricultando” anterior. A origem deste citrino é chinesa. Segundo o "Elucidário Madeirense" do Pe. Fernando Augusto da Silva e Carlos Azevedo de Meneses, a tangerineira no passado era cultivada em muitos jardins do Funchal. Nos nossos dias, esta fruteira é cultivada em toda a Região, destacando-se os concelhos de Santa Cruz, Ribeira Brava, Câmara de Lobos e Funchal. Esta espécie encontra as condições ideais de cultivo até aos 350 e 100 metros de altitude, nas costas sul e norte, respectivamente. A variedade mais apreciada é a "Setubalense", designada entre nós, também por tangerina do Natal ou da Festa. Os seus frutos são pequenos a médios, muito doces e mesmo com a casca de cor amarelo-esverdeada está pronta a comer. A época de colheita decorre de Dezembro a Fevereiro. As pragas que afectam esta cultura são a mineira dos rebentos dos citrinos, a psila dos citrinos, os ácaros, os afídeos e as cochonilhas, enquanto que as doenças mais frequentes são a fumagina ou "ferrugem" como é vulgarmente conhecida, o míldio e a gomose ou cancro. Ultimamente, muitas tangerinas vendidas no mercado regional, apesar de se apresentarem com as folhas junto ao fruto, como é típico da tangerina madeirense, não são de cá. Dessa forma, faz-se jus ao ditado de vender "gato por lebre". Mesmo assim, ao cheirarmos esses frutos que vêm do exterior, constatamos logo que, não têm a intensidade de "perfume" que a nossa tangerina tem. E os preços de venda do fruto importado e do regional são diferentes, isto é, a que vem de fora é mais barata que a regional, porque a qualidade tem o seu preço. Bom, resta-me desejar a si, amigo leitor do "agricultando", um feliz Natal e um 2009 cheio de realizações pessoais e de excelentes produções agrícolas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Rabiçais a 31.12.2008 às 00:29

Amigo Leça,
A Madeira não foge à regra e é invadida por todo o tipo de produto oriundo de qualquer quadrante, mas, contra isso, nada se pode fazer pois a globalização é assim. Resta-nos fazer aquilo que raramente fazemos, que é promoção, divulgação, educação, sensibilização e apelo à Portugalidade, pois de outra forma o preço assume-se como o principal factor de escolha.... sei bem o que isso é!
Parabéns, pelo teu artigo e, desde já, te desafio a fazeres um artigo sob a cultura da anona para que eu possa publicar no meu blog!
Aquele abraço e bom ano 2009!
Imagem de perfil

De Agricultando a 31.12.2008 às 18:04

Jorge,

Obrigado pelas tuas palavras. Efectivamente, a globalização veio para ficar. Contudo, falta aos portugueses, um pouco mais de orgulho no que é o produto nacional. Bastaria para isso imitarmos aquilo que, os espanhóis fazem, que é defender o que é deles!
Quanto ao artigo da anona, o mesmo já foi publicado. Basta colocares a palavra anona no campo de pesquisa deste blogue e lá encontrarás o texto.
Abraço e um 2009 cheio de esperança!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Dezembro 2008

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!