Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A compostagem

por Agricultando, em 21.02.10

Este texto foi publicado no dia 21 de Fevereiro de 2010, na revista "Mais" do Diário de Notícias. Hoje, existe uma maior consciência colectiva sobre a finitude de recursos como o solo e a água, bem como das consequências negativas da produção intensiva, quer seja agrícola, quer seja industrial, no nosso dia-a-dia cada vez mais globalizado. A actividade humana extrema sobre os recursos disponíveis na natureza já acarreta desequilíbrios de diversa ordem à escala mundial, pelo que, também na Agricultura, é uma preocupação constante. Como forma de contribuir para o equilíbrio do meio ambiente, da nossa saúde e segurança alimentar, sem esquecer o rendimento dos agricultores, surge a compostagem. No livro "Compostagem – Utilização de compostos em Horticultura" do Professor Doutor João Guilherme Batista e da Doutora Edite Romana Batista do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, a compostagem é definida como “um processo biológico que assegura a transformação de materiais orgânicos num produto higienizado e rico em compostos húmicos, suficientemente estável para poder ser armazenado, e cuja aplicação aos solos não produza efeitos adversos para o meio ambiente”. Por outras palavras, neste método ocorre a degradação de folhas, aparas de sebes e árvores, relva, flores, restos de verduras e frutas, cascas de ovos trituradas, borra de café, sacos de chá, sobras de pão entre outros resíduos orgânicos, que é efectuada por fungos e bactérias, minhocas e insectos, na presença de oxigénio e num ambiente quente e húmido, modificando a matéria orgânica até à sua estabilização. Esta é realizada num recipiente (compostor) ou num monte e decorre normalmente ao longo de dois a três meses. O composto, de fácil utilização, traz inúmeras vantagens para o sucesso da exploração agrícola, seja no modo de produção biológico ou no convencional. Este derivado da compostagem, acrescenta matéria orgânica e nutrientes ao solo, melhorando a sua fertilidade e prolongando a sua vida. Impede que a água se perca rapidamente nos solos "soltos" (arenosos) e "areja" os terrenos localmente chamados de "massapez" ou "salão" (argilosos), acautelando ainda a erosão dos terrenos. Incorpora bactérias e fungos, que ajudam a transferir os nutrientes que estão no solo para as plantas e diminui o surgimento de pragas e doenças, pois aumenta a resistência das culturas, evitando de modo igual a expansão de ervas daninhas. Caro leitor, se despertei o seu interesse, saiba que há entidades oficiais, que o podem ajudar a obter ou fazer o composto. Pode aceder ao sítio da empresa Valor Ambiente (http://www.valorambiente.pt/gestao-residuos/valorizacao-organica) ou contactar por exemplo, os Serviços de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária Biológica (291744190) da Direcção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural. Destaco igualmente um interessante livrinho intitulado "João o Agricultor Biológico" da Bacharel em Engenharia Agro-Pecuária, Helena Fagundes, onde se explica às crianças e não só, a compostagem, entre outros assuntos sobre a agricultura biológica.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:55


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Rabiçais a 22.02.2010 às 11:35

Olá Amigo Leça,
desta vez visito o teu blog não para comentar qq artigo mas simplesmente para manifestar a minha solidariedade para contigo e Madeirenses em geral, pela calamidade sem precedentes que assolou essa vossa (nossa) magnífica pérola do Atlântico.
Foraça amigo, estou contigo!
Imagem de perfil

De Agricultando a 26.02.2010 às 23:31

Caro Rabiçais,

Agradeço mais uma vez as tuas palavras de incentivo neste período trágico que assolou a Madeira. Mas são palavras de esperança como as tuas, que me dão força para continuar a acreditar...
Um grande abraço!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Fevereiro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!