Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A abóbora

por Agricultando, em 06.09.09

Este texto foi publicado no dia 6 de Setembro de 2009, na revista "Mais" do Diário de Notícias. O incontornável "Elucidário Madeirense" do Pe. Fernando Augusto da Silva e Carlos Azevedo de Meneses menciona que “(...) são cultivadas em larga escala na Madeira, a aboboreira que produz as abóboras a que os madeirenses chamam negras ou da Guiné (Cucurbita moschata), e a aboboreira que produz a abóbora machado (C. pepo)”. Há uma terceira espécie, cujo nome vulgar é a "boganga", existindo outras designações locais como "moganga", "abóbora moura" ou "tanarifa". A "da guiné" de excelente qualidade, é a predominante, podendo os seus frutos ser esféricos, ovados ou em forma de pêra. É colhida madura ou verde, sendo que no estado precoce, é conhecida por abóbora tenra ou aboborinha. Na Região, é frequente ver-se nos telhados e nos "terraços" das casas, as abóboras sazonadas, que por acção do sol, conservam-se por mais tempo. A "machado" ou "porqueira" de formato arredondado, cilíndrico ou piriforme, é cultivada acima dos 250 a 300 metros de altitude e na encosta norte. Em ambas as espécies, a polpa é amarela a alaranjada e as sementes brancas. A "boganga" ou "chila" como é chamada no continente, tem um aspecto oval, com casca branca, por vezes manchada de verde, polpa branca e sementes pretas. Quanto às pragas, temos os ratos, as lagartas, a "mosquinha branca das estufas" e os "piolhos", enquanto que as doenças habituais são a podridão cinzenta, o oídio ou "cinzeiro", as podridões radiculares e as viroses do mosaico das cucurbitáceas e do mosaico amarelo das aboborinhas. A época de colheita acontece de Maio a Novembro, de acordo com a localização geográfica, a altitude, as condições climatéricas locais, a espécie ou variedade e o seu estado de maturação. As abóboras têm múltiplas utilizações na gastronomia regional. A "da guiné" quando está madura, a "machado" e a "boganga" imatura, são confeccionadas em sopas e a "da guiné" tenra, quando cozida, serve de guarnição. Com a primeira espécie é possível transformá-la em apetecíveis derivados como o "doce" (compota), o pudim, os bolos, entre outros e com a "boganga", em compota de "chila". As sementes da "abóbora da guiné" e da "machado" tostam-se no forno e são salgadas, tornando-se num aperitivo muito agradável. Mas não é tudo, pois as abóboras "machado" e "boganga" também são usadas na alimentação animal. A "abóbora da guiné" e a "machado" são originárias do México e da América Central, respectivamente, ao passo que a "boganga" é oriunda da China. Como apontamento final, refira-se que esta hortense pertence à família das cucurbitáceas, onde constam hortícolas como a pepinela, o pepino, a cabaça e a melancia. A informação técnica sobre as espécies de abóbora foi obtida no sítio do SIR – Sistema de Informação Rural (http://www.sir-madeira.org), um projecto promovido pela Associação de Agricultores da Madeira. Aí encontram-se textos do Engenheiro Agrónomo Rui Vieira sobre as produções agrícolas regionais mais importantes. Falecido recentemente, quero prestar-lhe nesta ocasião uma simples, mas sentida homenagem. Bem-haja pelo que fez pela Agricultura madeirense!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!