Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O brigalhó

por Agricultando, em 17.05.09

Este texto foi publicado no dia 17 de Maio de 2009, na revista "Mais" do Diário de Notícias. O seu nome desperta curiosidade, mesmo entre nós. É um tubérculo que cresce espontaneamente na freguesia do Curral das Freiras, concelho de Câmara de Lobos. O seu aspecto lembra um inhame pequeno, embora em termos botânicos, sejam espécies distintas. Habitualmente, é colhido nos meses de Abril, Maio e Junho. Em tempos, dada a dificuldade da população daquela localidade em obter alimentos, o brigalhó era por vezes a única alternativa para saciar a fome. Até ao presente, desconhece-se como é que se descobriu a utilidade culinária desta planta. É caso para dizer que, a necessidade despertou a criatividade humana, tal como sucedeu com outras iguarias da gastronomia regional e nacional. Este tubérculo só é comestível depois de cozer 24 horas com "azedas" e bastante água. Essa água é reposta durante a longa cozedura. No passado, cozinhava-se uma determinada quantidade, que era suficiente para uma semana, guardando-se na "loja" (arrecadação), para melhor conservação. Hoje em dia, o brigalhó é cozido ou frito e serve de acompanhamento ao atum de escabeche, sendo ainda aproveitado para a confecção de bolos. Quem quiser provar e saber mais sobre este tubérculo peculiar, tem uma excelente oportunidade para fazê-lo. No último domingo deste mês, irá realizar-se no Curral das Freiras, a VII Mostra do Brigalhó, organizada pela Casa do Povo local, pelo que se aconselha uma visita até lá. De ano para ano, este certame tem contribuído para a diversidade agrícola e gastronómica da nossa Região, pelo interesse que tem suscitado, quer por parte dos madeirenses, quer por parte de muitos turistas. Constata-se também que, ao longo das edições, a população local em geral e os agricultores em particular, têm correspondido a esse entusiasmo. A terminar, uma justa referência para a fundadora deste evento, a D. Arsénia Silva, a quem agradeço, por ter-me facultado informações sobre este produto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:10


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.05.2009 às 18:30

Amigo Leça,
Muito interessante este artigo. Desconhecia este tubérculo. Mas constato que estão a dar ênfase à sua cultura, o que é de louvar.
Sabes informar-me qual é o nome científico desta espécie?
Fiquei também com curiosidade de saber o que é cozer com "azedas".
Obrigada.
Beijinhos
Imagem de perfil

De Agricultando a 26.05.2009 às 21:22

Graciete,
Como escrevi no artigo, é uma espécie desconhecida pela maioria dos madeirenses. É uma planta que cresce espontaneamente numa freguesia peculiar, como é o Curral das Freiras. É uma das poucas localidades de interior na Madeira.
Desconheço o seu nome científico.
As "Azedas" são umas ervas que pelos vistos, ao paladar são azedas (nunca provei!).
Beijinhos!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.05.2016 às 19:02

o nome cientifico é Arum italicum Mill
Imagem de perfil

De Agricultando a 21.05.2016 às 15:06

Ao anónimo de 20.5.2016 das 19h02, agradeço o seu comentário no blogue Agricultando e confirmo que o nome científico do brigalhó é Arum italicum Mill. Na altura que escrevi o artigo (17.5.2009) não sabia qual era a designação científica, mas passado algum tempo encontrei-a.
Sem imagem de perfil

De Nelson Freitas a 03.08.2011 às 00:15

Já tive oportunidade de provar estas ervas e são mesmo azedas! Fiz uma breve pesquisa e o Brigalhó parece ser o Arum italicum Mill e a parte comestível é o bolbo (não é um tubérculo) que necessita ser cozinhado durante 24 horas (isso mesmo 24) para perder a toxicidade natural, juntamente com as azedas (Oxalis pes-caprae L).

Espero ter ajudado.

Um abraço,

Nelson Freitas

Alguns links para consulta:

http://www.eol.org/pages/1133297

http://www.floresdelsureste.info/flora/Familias/arum_italicum.htm

http://obotanicoaprendiznaterradosespantos.blogspot.com/2010/10/jarro-dos-campos-arum-italicum.html
Sem imagem de perfil

De Nelson Freitas a 03.08.2011 às 00:23

Sem querer invadir terrenos que não os meus, quando digo que é um bolbo e não um tubérculo, é apenas fruto da pesquisa que fiz. Deixo aos especialistas, como o meu caro Leça, a confirmação destes dados.

Um abraço,

Nelson
Imagem de perfil

De Agricultando a 03.08.2011 às 22:04

Caro Nelson,

Agradeço o seu comentário sobre o brigalhó.
Confirmo que o nome científico é Arum italicum e que para tornar-se comestível, necessita de uma cozedura de 24 horas, aliás como está descrito no artigo publicado neste blogue e na revista Mais do DN Madeira de 17 de Maio de 2009.
No entanto, mantenho o que disse que o brigalhó é um tubérculo. Sugiro que clique nesta ligação http://www.jornaldamadeira.pt/not2008.php?Seccao=16&id=188748&sup=5&sdata=
Um abraço
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.08.2011 às 13:35

Prolonguei um pouco mais a pesquisa na net, mas foi na Revista Folclore de 2011 que, ontem à noite, encontrei um artigo sobre o mesmo.

O botânico Miguel Sequeira da Universidade da Madeira também diz que o brigalhó é um tubérculo e quem sou eu para discordar. Fica a minha dúvida esclarecida por dois entendidos na matéria.

Fiquei a conhecer também a Norça. Não fazia ideia que esta planta também foi utilizada em tempos como substituto da batata doce. É a vantagem de conhecer os entendidos nestes assuntos...

Agradeço o esclarecimento.

Um abraço,

Nelson
Sem imagem de perfil

De Graciete a 25.05.2009 às 18:32

Leça, peço desculpa, mas esqueci-me de colocar o meu nome no comentário efectuado anteriormente.
Bjs

Graciete

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Maio 2009

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!