Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A lentilha

por Agricultando, em 03.05.09

Este texto foi publicado no dia 3 de Maio de 2009, na revista "Mais" do Diário de Notícias. A lentilha pertence à família das leguminosas, sendo "parente" próxima de culturas como o feijão, a fava, a ervilha, o grão de bico, entre outras. Trata-se de uma planta de ciclo anual, cultivada em sequeiro e que pode atingir 25 a 40 centímetros de altura. Ao fim de quatro meses, procede-se à sua apanha, aproveitando-se as pequenas vagens com duas sementes achatadas, em forma de lente, de cor verde, laranja, vermelha, castanha ou preta, consoante a variedade. As folhas e os caules são usados na alimentação animal. Originária do Médio Oriente, a lentilha faz parte da dieta humana desde data remota. Tradicionalmente, a Índia, o Paquistão, o Bangladesh, o Nepal, o Sri Lanka e outros países vizinhos, cujas populações são na sua maioria vegetarianas, consomem estas sementes, por serem ricas em proteínas. Nos nossos dias, esta leguminosa está espalhada por todos os continentes, destacando-se por ordem decrescente de produção, a Índia, o Canadá (principal exportador mundial) e a Turquia. O "Elucidário Madeirense" do Pe. Fernando Augusto da Silva e Carlos Azevedo de Meneses, refere que a lentilha era “frequentemente cultivada no Porto Santo” e também no Caniçal. Noutros tempos, no Natal madeirense e porto-santense, faziam-se "searinhas" de trigo e desta leguminosa para ornamentar a lapinha. Actualmente, é ainda cultivada na "ilha dourada", embora em pequenas quantidades, quando comparada com o passado. A sementeira realiza-se no final de Janeiro, início de Fevereiro e a colheita em Maio. Assim, tira-se proveito dos meses de Inverno, para que as chuvas possam irrigá-la e, os meses da Primavera, com temperatura e exposição solar favoráveis, contribuem para o seu crescimento e maturação. A secagem das sementes é efectuada ao sol, na eira, por forma que o teor de humidade diminua e desse modo, se aumente o tempo de conservação destas. A lentilha do Porto Santo é pequena, de cor avermelhada e com um sabor característico, sendo cozinhada de diversas maneiras, numa deliciosa sopa com carne de porco e migalhas de bolo de cevada ou acompanhada por umas fatias deste, cozida só por si ou com arroz. Em súmula, esta leguminosa ímpar que está associada à gastronomia porto-santense de outrora e de agora, deveria constar nas ementas dos hotéis e restaurantes locais. Ao fazerem isso, estariam a preservar e a estimular uma parte da agricultura daquela ilha, proporcionando aos visitantes mais uma experiência única de aromas e sabores.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Graciete a 25.05.2009 às 18:20

Olá Leça,
Apreciei muito o teu artigo, por lembrares e alertares para os produtos agrícolas tradicionais, que se estão a perder no tempo. São variedade regionais que estão bem adaptadas às suas regiões tradicionais, com características, como referiste, únicas, mas que a nova geração, por não serem rentáveis, não as cultiva. Mas se estas culturas ganharem um estatuto diferente, como um produto regional, ficaríamos todos a ganhar. Caso não aconteça, perde-se um património que está associado à gastronomia regional. E pena, se assim for!
Bjs
Imagem de perfil

De Agricultando a 26.05.2009 às 21:08

Graciete,
Obrigado pela tua visita e pelo teu comentário. No âmbito do Germobanco Agrícola da Macaronésia, a lentilha do Porto Santo foi inventariada e caracterizada. Falta agora, estimular os agricultores daquela Ilha, para retomarem o cultivo desta leguminosa e a gastronomia a ela associada ser promovida pela hotelaria e restauração locais.
Enquanto há lentilhas!
Beijinhos
Sem imagem de perfil

De André a 22.04.2014 às 15:53

Boa tarde!
Quais as culturas que posso consorciar no cultivo da lentilha?
Cumprimentos,
André

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Maio 2009

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Número de visitas | Desde 14 de Outubro de 2007

80.000 visitas alcançadas a 9.4.2015!